top of page

IBIS SANTOS VALONGO E NOVOTEL SANTOS GONZAGA RENOVAM CERTIFICAÇÃO DE HOTEL NEUTRO DE CARBONO, DO IBDN

No dia 2 de fevereiro, cerca de 30 mudas de Mata Atlântica serão plantadas na Ecofábrica de Santos, marcando o ato institucional da certificação



Pelo terceiro ano consecutivo, os hotéis ibis Santos Valongo e Novotel Santos Gonzaga confirmam a manutenção do compromisso de seus investidores e da Atrio com a agenda global de mudanças climáticas e renovam a certificação dos empreendimentos como Hotel Neutro de Carbono, selo chancelado pelo Instituo Brasileiro de Defesa da Natureza (IBDN).

 Depois de plantadas quase 2.000 mudas no Parque Ecológico do Tietê, na capital paulista em 2022 (700 árvores) e 2023 (1.235 árvores) nesta edição, cerca de 30 mudas de espécies nativas da mata atlântica serão plantadas na Ecofábrica da Zona Noroeste de Santos na próxima sexta-feira, 02/02, às 14h, marcando o ato institucional da certificação, que somará um total de 1.279 mudas plantadas em 2024.

O novo ciclo da renovação do certificado compreende todas as atividades realizadas nos empreendimentos em 2023. “O aumento nas emissões é uma resposta direta ao reestabelecimento das operações no pós-pandemia”, diz Flavio Patrício, investidor e um dos idealizadores do projeto ao reforçar que “neste momento, trazemos um novo desafio operacional, que é buscar estratégias que contribuam ainda mais para diminuição das emissões a partir da adoção de novas práticas”, reforça.

 A iniciativa contará com a participação de mais de 20 pessoas, entre colaboradores, os gerentes-gerais das unidades, autoridades locais, os investidores Flávio Patrício e João Carlos Ferreira Pinto; Beto Caputo e Rui Medeiros, CEO e Diretor de Operações da Atrio Hotel Management, empresa responsável pela gestão hoteleira de ambos os empreendimentos; e Rogério Iório, presidente do IBDN, órgão responsável por medir, divulgar e compensar as emissões de carbono dos empreendimentos. “A temática da sustentabilidade vem ocupando um espaço ainda maior na companhia, inclusive com a criação de um comitê de trabalho voltado às práticas de ESG. E a certificação destes empreendimentos é referência para nós”, diz Beto Caputo, CEO da Atrio.

Entre as iniciativas citadas por Patrício está a revisão de todo o processo de aquecimento de água do hotel, que passa a contar com a instalação das bombas de calor, que diminuem o consumo de gás para este procedimento.

Os resultados dos estudos do IBDN indicam que, em 2023, o Ibis Santos Valongo emitiu 92.474 toneladas de carbono, enquanto o Novotel Santos Gonzaga emitiu 114.517 toneladas de carbono no mesmo período. Com isso, eles realizarão, respectivamente, o plantio de 576 e 703 mudas, recuperando, juntos aproximadamente 6.400 mil metros quadrados de áreas degradadas de Mata Atlântica.


Descarte de televisores e impactos positivos

Mais de 60 televisores do hotel ibis Santos Valongo, que seriam transformados em lixo eletrônico, foram destinados à EcoFábrica Criativa da Prefeitura de Santos.

A iniciativa, promovida pelo grupo de investidores do hotel, contribui para a preservação do meio ambiente e para o avanço da economia criativa na cidade, gerando impactos ambientais e sociais positivos.

Na EcoFábrica, os aparelhos serão trabalhados por alunos de cursos ministrados pelo Fundo Social de Solidariedade (FSS) e ganharão um novo ciclo de vida.

Quando corretamente descartado, um equipamento eletrônico deixa de contaminar o meio ambiente e de causar danos à saúde humana – o lixo eletrônico contém metais pesados como mercúrio, cádmio e chumbo e estudos comprovam que todas as formas de vida são afetadas pela presença de metais pesados.

Outro impacto ambiental positivo do descarte correto de aparelhos eletrônicos é o prolongamento da vida útil dos aterros sanitários. Para se ter uma ideia de como o Brasil ainda precisa avançar nessa questão, é importante saber que em 2019 cada brasileiro gerou, em média, 10,2 quilos de lixo eletrônico (ou 2.143 quilotoneladas). Desse total, apenas 0,14 quilotoneladas foram corretamente recolhidos e reciclados, segundo dados do Observatório Mundial dos Resíduos Eletrônicos 2020, ONU.

“Por outro lado, ao alimentar a economia circular, o que seria lixo eletrônico se torna matéria-prima para processos de capacitação profissional e geração de renda, como acontece na parceria entre o iBIS Santos Valongo e a EcoFábrica Criativa”, comemora João Carlos Ferreira Pinto.


bottom of page